Urticária: conheça os tipos e saiba como tratar

Urticária é uma irritação de pele caracterizada por elevações avermelhadas na pele, desencadeada pela ação da histamina no organismo.Contudo essas lesões podem surgir e desaparecer espontaneamente em diferentes locais do corpo, provocando coceira intensa.

Além disso a  urticária pode vir acompanhada de inchaço (angioedema) nas mãos, pés ou rosto. Em casos mais graves, o inchaço atinge a região da laringe bloqueando as vias áreas e a passagem de ar para os pulmões.

Porém apesar de ser um distúrbio clínico comum estima-se que de 15% a 20% da população pode apresentar urticária em alguma fase da vida — todavia a doença ainda é pouco conhecida. Apesar de seus efeitos serem  incômodos e comprometerem a qualidade de vida e rotina dos pacientes afetados.

E quais são os tipos de urticária?

posteriormente o tempo de duração e as características da urticária determinam sua classificação. Entenda alguns tipos, citados nos exemplos abaixo:

Urticária física: são menos frequentes e geralmente desencadeadas por situações relacionadas ao ambiente externo como banhos quentes, sol, exercícios físicos, etc. 

Urticária aguda: sinais e sintomas duram menos de seis semanas

Urticária crônica: os sinais persistem por seis semanas ou mais, podendo ser classificada como:

Urticária crônica induzida: quando os sintomas são desencadeados por um agente externo como alimentos, estímulos físicos, medicamentos, etc.

Urticária crônica espontânea (UCE): quando não há identificação de um fator externo desencadeante da doença, o que desencadeia a doença é o seu próprio organismo. 

E como é feito o diagnóstico?

Em suma, o diagnóstico do paciente com urticária é feito a partir da análise do histórico clínico e do exame físico; além da  rotina e alimentação que  também são levadas em consideração. Acima de tudo o tempo de duração da doença é fundamental para definir sua classificação e os próximos passos.

Portanto exames também podem ser solicitados para descartar outros diagnósticos.

E o tratamento, como é feito?

Para controlar os sintomas, é fundamental um acompanhamento adequado com especialistas. Grande parte dos portadores de urticária crônica conseguem viver sem nenhum sinal ou sintoma quando recebem o tratamento adequado.

A abordagem padrão são os anti-histamínicos não sedantes, que agem diretamente no bloqueio da ação da histamina. A dosagem adequada do medicamento devem ser determinados pelo médico.

E quais são as implicações da urticária na qualidade de vida?

Os incômodos causados pela urticária vão além dos aspectos físicos. A doença impacta, entre tantas outras coisas, a qualidade de vida, as relações sociais, o sono, a concentração no trabalho e o cotidiano como um todo.

Sobretudo, é importante saber que a doença pode ser controlada com a abordagem adequada. Para alcançar o bem-estar no dia a dia, além de seguir à risca as recomendações do médico, é preciso evitar a automedicação, já que algumas substâncias podem agravar ainda mais os sintomas. Em conjunto, médico e paciente definirão o melhor caminho para o tratamento.

Ademais, movimente o corpo, realize atividades físicas e mantenha uma boa alimentação. Fique longe dos agentes que desencadeiam ou intensificam os sintomas da urticária. Em caso de suspeita da doença, visite um médico especialista e converse com ele sobre os sintomas.

Para saber qual o melhor tratamento para sua pele é necessário agendar uma consulta com seu dermatologista

ATENÇÃO

  • Os textos e fotos contidos neste site têm caráter meramente informativo e não substituem de modo algum uma consulta médica.
  • Os resultados podem variar de acordo com a resposta individual.
  • As opiniões aqui contidas podem divergir das de outros profissionais. As informações contidas neste site não podem ser usadas legalmente contra terceiros, como evidência de falhas ou enganos de outros profissionais.