Skinlaser

Queimadura solar : Como evitar e como tratar

Queimadura solar : Como evitar e como tratar

A estação mais quente do ano está se aproximando e, com as altas temperaturas do verão é fundamental cuidar mais da pele, que pode vir a sofrer queimadura solar. É importante dizer que, quando falamos em queimadura solar, estamos nos referindo a um processo inflamatório na pele causado pela exposição prolongada aos raios UV, seja pelo sol ou por fontes artificiais, como câmaras de bronzeamento, por exemplo. Já em relação aos sintomas, eles são sentidos de 1 a 6 horas depois do contato contínuo com os raios UV, sendo o pico em 24h, incluindo vermelhidão, dor, tontura, sensação de ardência e sensibilidade ao toque, bolhas, descamação, entre outros.

Vale destacar, ainda, que a queimadura solar pode acontecer em qualquer pessoa e de qualquer idade, bastando que se exponha por longo período a raios UV sem proteção. Além disso, também existem graus de queimadura solar, em que o primeira grau é caracterizado pela pele quente, vermelha e ardendo, o segundo grau pela dor, inchaço e aparecimento de bolhas e o estágio mais avançado, ou seja, a queimadura solar de terceiro grau, por bolhas mais intensas e pela camada mais profunda da pele danificada, o que pode ser realmente preocupante e exige atendimento médico imediato.

Abaixo, nós vamos te contar mais detalhes sobre queimadura solar respondendo algumas questões como: É realmente necessário tomar sol para a saúde? Quais cuidados devem ser tomados ao se expor ao sol? Como prevenir a queimadura solar? O que fazer, e o que não fazer, em caso de queimadura solar? Siga a leitura e aproveite nossas dicas para curtir o verão com a sua pele bem protegida e bem longe das temidas queimaduras solares!

A importância de tomar sol

             O sol é um verdadeiro parceiro da nossa saúde, oferecendo diversos benefícios, como estímulo da vitamina D, melhoria na qualidade do sono e sensação de bem estar. O ideal, segundo os médicos, é que as pessoas se exponham ao sol, sem protetor solar ou hidratantes, de 15 a 30 minutos todos os dias, antes das 10h ou após as 16h, horários em que o sol não está muito forte e não causa riscos associados a exposição. Você já deve ter percebido que, como quase tudo na vida, o que faz mal em relação ao sol é o excesso.  Abaixo, confira 6 benefícios oferecidos pelo sol para o nosso corpo desde que com os cuidados necessários!

Fortalece o sistema imunológico –A luz solar auxilia na produção de vitamina D, que ajuda a fortalecer o sistema imunológico, responsável por garantir a proteção do organismo contra infecções.

Melhora o humor- Quando o corpo recebe luz solar que alcança o cérebro através do nervo óptico, os níveis de serotonina aumentam, regulando assim o humor e causando uma sensação de bem estar.

Ajuda a regular o sono- Ao tomar sol, a melatonina, hormônio responsável por regular os ciclos do sono é ativado, produzindo assim um efeito sedativo e uma sensação de tranquilidade para noites de sono de mais qualidade.

Aumenta a produção de vitamina D- Como falamos anteriormente, a exposição solar aumenta a produção de vitamina D pelo corpo, que é responsável por ajudar a fortalecer nossos organismo, assim como ajuda a aumentar os níveis de cálcio, que são importantes para o fortalecimento de ossos e articulações, e também previne doenças autoimunes, como esclerose múltipla, doença de Crohn, artrite reumatoide, entre outras.

Diminui o risco de depressão- Como a exposição ao sol aumenta a produção de endorfina pelo cérebro, ela promove uma sensação de bem estar e ajuda a diminuir os riscos de depressão, doença bastante comum e muito séria.

Cuidados com o sol

Apesar de ser um aliado para a saúde e os dias mais quentes proporcionarem atividades ao ar livre e ainda produção de vitamina D e outros benefícios para o nossos organismo, é necessário cuidados ao se expor ao sol, para se evitar queimaduras solares e também outras consequências, como envelhecimento precoce, manchas, rugas e câncer de pele. Entre os cuidados com o sol que devemos tomar para proteção estão os seguintes:

Evitar horários de pico Os horários ideias para se tomar sol é antes das 10h ou após as 16h. Nesse período há uma diminuição da incidência dos raios UVB, que são os responsáveis pelas queimaduras.

Caprichar no protetor solar É fundamental utilizar protetor solar com FPS 30 ou superior, e que também tenha proteção contra raios UVA. Lembre-se de aplicar o protetor de 20 a 30 minutos antes de se expor ao sol e que ele deve ser reaplicado a cada 2h ou depois de mergulhar, transpirar ou se secar com a toalha.

Utilizar barreiras físicas Além do filtro solar com FPS 30 ou superior, também existem algumas barreiras físicas que podem ajudar bastante na proteção, como óculos escuros, barracas de lona ou de algodão, roupa com proteção UV e chapéu. Importante destacar que nenhuma dessas barreiras eliminam de maneira nenhuma a necessidade do uso do filtro solar.

Se hidratar É muito importante sempre se hidratar antes, durante e após a exposição solar. Beba bastante água, chás e sucos para que os líquidos sejam repostos.

Como prevenir a queimadura solar

            Para se prevenir contra a queimadura solar, deve se seguir os mesmos cuidados ditos anteriormente, como evitar tomar sol no período das 10h às 16h, utilizar barreiras físicas, como chapéu e óculos de sol, caprichar no protetor solar e se hidratar. Em relação ao protetor solar é fundamental que ele seja aplicado antes da exposição solar e reaplicado sempre que for necessário, não se esquecendo de que o produto precisa ser de boa qualidade e oferecer alta resistência.

É válido dizer que crianças e idosos tem a pele mais fina e sensível e que o cuidado com a pele deles deve ser redobrado para evitar as queimaduras, já que são mais propícias a formação de bolhas, por exemplo. O recomendado é que essa faixa etária utilize protetores solares que sejam específicos para a idade, que se hidratem com mais frequência e façam intervalos na sombra depois de períodos no sol. A alimentação nos dias mais quentes também deve ter atenção, preferindo-se alimentos leves, frutas, hortaliças, carnes magras e cereais integrais, e evitando excessos de gorduras e açucares. Procure, também, se alimentar em pequenas porções a intervalos mais curtos ao invés de porções grandes.

O que fazer em caso de queimadura solar

Quando as queimaduras solares são de primeiro grau, ou seja, afetam somente a camada mais superficial da pele, é possível tratar em casa, sem que seja necessário de forma obrigatória procurar um médico. Para tratar e aliviar a queimadura solar você deve seguir essas recomendações:

Beber muita água É comum que a queimadura solar venha acompanhada da desidratação e, por isso, beber bastante água é essencial para repor a perda de líquidos. Água de coco e isotônicos são ótimas opções, já bebidas alcoólicas devem ser evitadas.

Compressas e cremes gelados A queimadura solar pode arder bastante e uma ótima opção é aplicar gazes ou toalhas umedecidas com água e soro fisiológico por 15 minutos. O chá de camomila também é uma opção a ser considerada por conter propriedades que ajudam a acalmar a pele.

Cuidado na hora do banho O banho frio ajuda a aliviar a ardência da queimadura solar. Deve se evitar o uso de esponjas e de sabonete na região, que tendem a ressecar a pele já sensibilizada.

Aplicar cremes calmantes e hidratantes O uso de loções pós sol contendo aloe vera e camomila em sua fórmula podem ajudar bastante a diminuir a ardência, assim como água termal. Lembre-se que a aplicação deve ser feita várias vezes no dia para restaurar a camada de proteção da pele de forma mais rápida.

Tomar analgésicos Caso o ardor e a dor da queimadura incomode muito, a utilização de analgésico ou anti-inflamatório pode ajudar bastante.

Ficar longe do sol A queimadura solar demonstra que a pele já está sensibilizada e, por isso, é necessário que se evite exposição solar. Ao sair de casa, procure usar filtro solar com FPS 30 ou superior, roupas leves de algodão, chapéu e ficar na sombra.

Quando devo procurar um médico?

Embora a maioria das queimaduras solares consigam ser tratadas com o tempo, no período de 3 a 6 dias, e com as recomendações acima, alguns casos mais graves precisam de atendimento médico imediato. É recomendado ir ao pronto socorro quando houver:

Presença de bolhas As bolhas indicam que não foi só a camada superficial da pele que foi atingida pela queimadura solar e, por isso, existe o risco de infecções. Como nesse caso pode ser necessário o uso de curativos e antibióticos, se faz necessário procurar por um médico;

Queimadura solar em idosos e crianças pequenas Como crianças e idosos tem a pele mais sensível e são mais vulneráveis a terem queimadura solar, os riscos e as consequência também aumentam. Não deixe de procurar de forma imediata atendimento médico.

Queimadura solar de grande extensão Caso a região afetada pela queimadura solar seja grande, mesmo que de primeiro grau, ela pode levar a desidratação, sendo fundamental que se procure por assistência médica;

Insolação É comum que a queimadura solar venha acompanhada de insolação, que tem como sintomas febre, calafrios, exaustão, náuseas, vômitos e desmaios. Sempre que isso ocorrer é necessário que se procure por uma avaliação médica, que poderá indicar o melhor tratamento a ser seguido.

O que não fazer em caso de queimadura solar

            Assim como algumas recomendações podem ajudar bastante a aliviar e tratar as queimaduras solares, também existem outros comportamentos que podem acabar piorando a situação e tornando o tratamento da queimadura solar mais prolongado e até mesmo mais grave.

Em queimaduras solares, evite:

– Cobrir as regiões acometidas, pois isso pode acabar não deixando a pele respirar e naturalmente se regenerar;

– Colocar remédios caseiros que não tenham comprovação cientifica ou que não sejam recomendados pelo médico. Como se trata de uma região sensibilizada, não é qualquer pomada ou remédio caseiro que poderá resolver o problema;

– Estourar as bolhas que podem vir a se formar. Caso a queimadura solar forme bolhas é fundamental que elas não sejam estouradas. Nesse caso, procurar por atendimento médico é necessário, já que as bolhas indicam que a queimadura solar não atingiu apenas a parte superficial da pele;

– Não seguir as recomendações médicas. Como as queimaduras solares se não tratadas podem acabar causando manchas, é importante que sempre se siga as orientações médicas para o tratamento. Em grande parte dos casos, é possível que não fique qualquer mancha decorrente da queimadura solar;

– Usar roupas pesadas. Quando a queimadura solar está sendo tratada é possível que fique uma cicatriz, que deve ir sumindo aos poucos. Não se esqueça de usar tecidos especiais ou roupas leves para protegê-la do sol, assim como filtro solar com proteção de no mínimo FPS 30. Se for o caso, é possível até mesmo que o profissional indique remédios específicos;

– Retirar a pele morta. Não retire peles que pode ir se soltando aos poucos da queimadura solar. Essa pele morta deve ir saindo aos poucos e de forma natural, nunca as puxe, pois pode acabar abrindo uma ferida e deixando a pele mais sensível;

– Ficar mexendo na queimadura solar. Ela precisa de tempo para se recuperar;

– Banhos quentes, assim como os sabonetes, já que podem ressecar a pele que já está sensibilizada e danificada. Procure tomar banhos frios, dê preferência a formas líquidas e neutras de sabonete, não esfregue a pele e não use toalha na hora de secar. O ideal é enxugar a região da pele com queimadura solar de forma devagar e com toalha macia.

Um abraço,

Dra Silvia Kaminsky

Diretora Médica da Skinlaser.

CRM – SP 68.968 / RQE 38.901

Sair da versão mobile