Como é feito o tratamento estético com peeling de diamante?

Saiba tudo sobre o procedimento queridinho para rejuvenescimento facial, o peeling de diamante

Cada vez mais mulheres e homens buscam alternativas para melhorar o aspecto da pele e rejuvenescer. Acima de tudo um dos mais conhecidos e queridinhos entre os métodos disponíveis é o peeling de diamante. Contudo o procedimento —  também conhecido como Microdermoabrasão— é capaz de remover as células mortas. Tais células  se acumulam na camada mais superficial da epiderme devolvendo elasticidade e viço para a pele.

Além disso a técnica moderna promove a renovação celular e estimula a produção de colágeno na pele. Ou seja, deixando-a mais firme e uniforme.  Da mesma forma que é usada também como coadjuvante nos tratamentos de  remoção de manchas e de cicatrizes de acne e para suavizar linhas finas. Comumente utilizado em tratamentos faciais, o peeling de diamante pode também ser aplicado em outras áreas do corpo. Por exemplo no  pescoço e colo, costas e braços, para auxiliar no tratamento de manchas e  de estrias brancas ou vermelhas.

O tratamento com peeling de diamante é menos agressivo do que outros procedimentos estéticos que utilizam substâncias químicas e por isso, tem menos contra-indicações. O processo consiste em um equipamento que conecta uma ponteira de diamante a um aparelho de vácuo que desliza sobre a pele fazendo a esfoliação. O peeling de diamante é indolor e não provoca descamação importante após a sessão.

Quais resultados posso esperar do peeling de diamante?

São necessárias de 5 a 10 sessões do peeling de diamante para obter resultados satisfatórios. Entre a segunda e terceira sessão já é possível notar melhora na textura e brilho da pele. Para minimizar manchas e poros dilatados, são feitas aplicações mais superficiais, enquanto para as linhas finas, rugas e cicatrizes, as aplicações são médias ou mais profundas. 

Qual a melhor época do ano para fazer o peeling?   

O inverno sem dúvidas é a melhor época para a realização do peeling de diamante. É a estação em que os raios ultravioletas são mais leves e, portanto, há menos riscos de manchar a pele. Ademais, os cuidados no inverno resultarão em uma pele incrível no verão. Então, se você está pensando em investir no tratamento com peeling de diamante, esse é o melhor momento!

Como cuidar da pele após o procedimento?

A região da aplicação do peeling deve ser bem hidrata e a exposição solar deve ser evitada pelos próximos 15 dias, usando-se filtro solar fator 30 FPS, pelo menos. Durante o tratamento, o filtro será o seu maior aliado.

Afinal, o peeling de diamante dói?

Não se preocupe com a dor. O tratamento com peeling de diamante é seguro e muito confortável. O que pode ocorrer, em alguns casos, são vermelhidões passageiras no local da aplicação do peeling. Também é normal sentir um pouco de desconforto quando a esfoliação for mais intensa, mas nada que atrapalhe ou limite as atividades diárias. 

Tem contraindicação?

O procedimento é contraindicado para peles muito sensíveis, com lesões, rosácea,  ou processos inflamatórios, pois nesses casos pode provocar ainda mais irritação. E as mulheres grávidas? Elas também podem realizar o procedimento, mas devem consultar-se com um médico antes. Com exceção desses casos, todas as pessoas podem realizar o tratamento. Certifique-se ainda de que o profissional é especializado para que não ocorra complicações futuras.

Qual a diferença entre o peeling de diamante e o peeling de cristal?

Essa é uma pergunta que gera muitas dúvidas entre as pessoas que desejam realizar os procedimentos estéticos. O peeling de diamante é mais leve e esfolia somente uma parte da epiderme, portanto é indicado para peles que não necessitam de uma esfoliação tão agressiva. Já o peeling de cristal libera cristais (óxido de alumínio) pelo equipamento e é mais recomendado para peles que necessitam de uma esfoliação mais profunda.

Ficou com vontade de experimentar o peeling de diamante?

É importante saber que antes da realização do procedimento o ideal é que o paciente agende uma avaliação com um dermatologista especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), para investigar as condições da pele e evitar complicações após o procedimento.

Para saber qual o melhor tratamento para sua pele é necessário agendar uma consulta com seu dermatologista

ATENÇÃO

  • Os textos e fotos contidos neste site têm caráter meramente informativo e não substituem de modo algum uma consulta médica.
  • Os resultados podem variar de acordo com a resposta individual.
  • As opiniões aqui contidas podem divergir das de outros profissionais. As informações contidas neste site não podem ser usadas legalmente contra terceiros, como evidência de falhas ou enganos de outros profissionais.