Flacidez corporal

Como tratar a flacidez corporal? Saiba como a associação de tecnologias pode solucionar o problema.

Flacidez corporal: tecnologias para tratar

Flacidez corporal é o assunto de hoje. Ela afeta o corpo inteiro.

A pele vai ficando mole com o passar do tempo e por mais que você malhe, não resolve o problema.

A flacidez corporal é pior para a mulher que, com o passar dos anos, vai perdendo também a parte hormonal.

E apesar de a musculatura estar boa, graças aos exercícios físicos, a pele ainda pode ter o aspecto de pele flácida.

A pele do braço, abdômen e do interno de coxa são as que mais incomodam.

A boa notícia é que com o advento da tecnologia, tanto de injetáveis quanto de aparelhos, nós conseguimos unir essas duas tecnologias e melhorar a qualidade da pele do corpo.

Testosterona e flacidez

Os homens são beneficiados pela testosterona, por isso têm menos flacidez.

Algumas mulheres desejam, inclusive, tomar testosterona para combater a flacidez, mas essa é uma questão controversa.

Tomar hormônio para melhorar a flacidez vai acarretar uma série de efeitos colaterais.

A mulher não foi feita para ter testosterona em grandes quantidades, então é uma equação que precisa ser avaliada.

Se ela tomar hormônio pode ter pelos, a pele pode ficar mais oleosa, pode ter queda de cabelo.

A gordura localizada está incomodando você? Clique aqui e saiba como tratar o problema. 

Como tratar a flacidez?

Existem as tecnologias para melhorar essa flacidez corporal.

Os bioestimuladores podem ser aplicados no corpo, assim como fazemos no rosto:
pescoço,
colo,
braços,
abdômen,
pernas,
acima do joelho.

Essa pele em cima do joelho incomoda na hora de usar um shorts, uma roupa mais curta, então podemos tratá-la também.

Para obter um melhor resultado a gente consegue associar os bioestimuladores injetáveis, que estimulam a produção de colágeno na parte da derme, deixam a estrutura mais densa, com o ultrassom microfocado.

Ele melhora a flacidez em nível mais superficial e também mais profundo.

E temos também as radiofrequências, tanto fria (criofrequência) quanto radiofrequência com calor.

A verdade é que estímulos diferentes dão respostas melhores.

Então quando a gente coloca esses 4 estímulos você consegue estimular mais o colágeno do que com estímulos isolados.

O tratamento com uma tecnologia isolada não confere um resultado tão bom quanto se combinarmos os tratamentos.

Então associar várias tecnologias com estimuladores, além de pessoa fazer os exercícios físicos e estimular a musculatura, melhoram muito a flacidez de pele.

Hábitos saudáveis de vida, um bom alinhamento do corpo, junto com a melhoria das estruturas, faz a gente se sentir melhor.

São métodos não invasivos.

Cirurgia para flacidez é para todo mundo?

Muita gente fala que gostaria de fazer uma cirurgia e tirar tudo de uma vez, mas toda cirurgia deixa uma cicatriz.

E não são todos os casos em que a cirurgia é indicada, apenas quando a flacidez já está em estado avançado.

A cirurgia também é uma opção para os pacientes que fizeram cirurgia bariátrica e tiveram uma perda de peso muito grande em um período curto de tempo.

Muitos deles têm um grau de flacidez muito grande, um excesso de pele que deve ser solucionado com cirurgia.

Mas 99% dos paciente se beneficiam com as técnicas de tratamento de flacidez corporal que combinam as tecnologias faladas a pouco.

O que esperar do tratamento?

Os resultados não são imediatos, eles vão aparecendo conforme o tratamento vai evoluindo.

São 3 a 4 meses de tratamento, além de uma manutenção anual que precisa ser feita.

Essas tecnologias não exigem nenhum cuidado especial após sua aplicação.

As sessões demoram cerca de 1h, 1h30 e depois você segue para suas atividades normais do dia a dia.

Quer saber mais ou agendar sua avaliação? Entre em contato com a nossa equipe!

Blog

bioestimuladorescolágenocriofrequenciaflacidezflacidez corporalflacidez de peleflacidez facialradiofrequênciaultrassom macrofocadoultrassom microfocado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *