Câncer de Pele: entenda por que a prevenção é essencial


Dezembro é marcado pelo calor, afinal, o verão está logo aí! E é nesta época que muitas pessoas vão às compras para organizar as celebrações de Natal e Ano Novo ou aproveitam os dias de folga do fim de ano para pegar aquele bronzeado na piscina ou na praia.

Mas, a verdade é que viemos aqui falar sobre o risco da exposição solar sem proteção, que pode gerar consequências graves como o Câncer de Pele. Para você ter uma ideia, este tipo de câncer tornou-se o mais frequente entre os brasileiros, sendo responsável por cerca de 30% de todos os tumores diagnosticados no Brasil, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer).

Mas, o que causa o Câncer de Pele?

É importante ressaltar que o Câncer de Pele embora esteja associado a fatores genéticos e a maior incidência em pessoas com pele e olhos claros e albinas, sua principal causa continua sendo a exposição prolongada e repetida ao sol (Raios UVs – Ultravioletas), principalmente na infância e adolescência, além da exposição a câmaras de bronzeamento artificial.

 

Tipos de Câncer de Pele

O Câncer de Pele apresenta tumores de diferentes tipos, e os 3 principais são:

 

Carcinoma Basocelular

O Carcinoma Basocelular apresenta baixa taxa de mortalidade e pode ser curado com mais facilidade em caso de detecção precoce, entretanto é considerado o tipo de Câncer de Pele mais recorrente. O tumor surge nas células basais, encontradas na camada mais profunda da epiderme, ou seja, na camada superior da pele, e costuma acometer regiões do corpo que ficam mais expostas ao sol como: rosto, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas.

 

Carcinoma Espinocelular

Este tipo de câncer se manifesta nas células escamosas que constituem a maior parte das camadas superiores da pele e, assim como o Carcinoma Basocelular, seu desenvolvimento pode afetar diversas partes do corpo, embora também seja mais comum nas áreas expostas ao sol. O diferencial em relação ao Basocelular é que o Espinocelular pode ter evolução um pouco mais agressiva e apesar de raro, evoluir com metástase.

 

Melanoma

É o tipo menos frequente dentre todos os cânceres que acometem a pele, representa 3% dos casos diagnosticados, porém é considerado o mais agressivos e letais. É importante lembrar que apesar do diagnóstico de Melanoma causar apreensão, ainda assim as chances de cura são de mais de 90% quando a doença é detectada precocemente. Portanto, observe sua pele e não tenha receio de ir ao dermatologista caso perceba alguma alteração.

 

DIAGNÓSTICO

O Câncer de Pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas, e por isso somente um exame clínico detalhado feito por um médico especialista, com auxílio do dermatoscópio (aparelho que ajuda na avaliação das pintas) e a biópsia podem confirmar o diagnóstico.

 

Aprenda a metodologia ABCDE

A autoavaliação de pintas e manchas faz muita diferença no momento de detectar qualquer irregularidade na pele, pois é ela que incentiva o paciente a procurar acompanhamento médico. Conhecer sua pele, observá-la com frequência e memorizar em quais regiões suas pintas estão localizadas podem ajudar com o diagnóstico precoce de um possível câncer de pele.

Para ajudá-lo, aprenda o método mnemonico “ABCDE”:

  • Assimetria;
  • Bordas Irregulares;
  • Cor (tom de preto escuro ou várias colorações);
  • Diâmetro maior do que cinco milímetros;
  • Evolução que diz respeito à mudança de tamanho, forma e cor.

Se alguma de suas pintas ou manchas se encaixa em algum item proposto nessa métrica, é hora de consultar-se com um dermatologista!

Tratamento do Câncer de Pele

Após o diagnóstico do Câncer de Pele será definida a melhor forma de tratamento, que varia conforme a extensão, agressividade e localização do tumor, bem como a idade e o estado de saúde do paciente.

Geralmente, o método cirúrgico é o mais utilizado, mas dependendo do estágio do câncer, pode ser recomendado pelo médico abordagens isoladas ou complementares à cirurgia como radioterapia e/ou quimioterapia.

Para os casos em que o Câncer de Pele, especialmente o Melanoma, tenha se espalhado para outros órgãos (metástase), atualmente existem novos medicamentos que apresentam altas taxas de sucesso terapêutico e têm como finalidade retardar a evolução da doença, oferecendo mais qualidade e chance de sobrevida mais longa aos pacientes.

Prevenção

Por último e mais importante: previna-se do Câncer de Pele!

A maioria dos casos de Câncer de Pele pode ser evitada com medidas simples realizadas no dia a dia. Abaixo separamos algumas dicas que você deve adotar como um hábito a partir de agora. Confira:

  • Evite a exposição solar nos horários das 10h às 16h. Nesse período os raios costumam ser mais intensos;
  • Nos dias muito quentes e com muito sol, permaneça em lugares arejados e que tenham sombra;
  • Use acessórios com proteção adequada como: roupas, bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UV, sombrinhas e barracas;
  • Não se esqueça do filtro solar com FPS (Fator de Proteção) de no mínimo 30, ele é um item fundamental para proteger a pele. Aplique-o antes de se expor ao sol todos os dias, mesmo nos nublados.

Agora que você já sabe mais um pouco sobre como se proteger neste verão, compartilhe nas suas redes sociais e conscientize mais pessoas sobre o Câncer de Pele!

Dra. Maria Fernanda Gomes
CRM-SP 155.139/ RQE: 73.730

Blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *