Clínica Dermatológica SkinLaser - Responsável Técnica: Dra. Silva Kaminsky - CRM-SP 68968 / RQE 38901

Tecnologia Avançada em Dermatologia
Blogger
(11) 3155-5555

Blog

Skinlaser Blog

Garota albina conquista agências de modelos com sua beleza única

Garota albina conquista agências de modelos com sua beleza única

Nariyana é uma linda menina de 8 anos.
Ela nasceu em uma família de origem siberiana russa, cujos traços genealógicos vêm da linhagem Yakut.
Os membros da família da garota têm cabelos negros, mas a pequena Nariyana vem recebendo muita atenção por causa de sua pele de porcelana e cabelo que, de tão claro, parece branco.

Essas características a garantiram carinhoso apelido de Branca de Neve.
Quem não conhece a família tem dificuldade em acreditar que Nariyana e Karina, de 14 anos, são irmãs.
Os pais das meninas, Elena e Albert, afirmam que a pequena Branca de Neve é a primeira criança albina a nascer dos dois lados da família.

O albinismo é uma doença genética hereditária, que faz com que as células do corpo não sejam capazes de produzir Melanina, um pigmento que quando não existe provoca falta de cor na pele, olhos, pelos ou cabelos. A pele de um Albino é geralmente branca, sensível ao sol e frágil, enquanto que a cor dos olhos pode variar de azul muito claro quase transparente a castanho, e esta é uma doença que pode também aparecer em animais como o orangotango, por exemplo.
Além disso, os albinos estão também sujeitos a algumas doenças, como problemas de visão como estrabismo, miopia ou fotofobia devido à cor clara dos olhos ou a câncer de pele causado pela falta de cor da pele.

Tipos de Albinismo

O albinismo é uma condição genética onde pode haver a ausência total ou parcial da pigmentação e que pode afetar apenas alguns órgãos, como os olhos, sendo nestes casos chamado de Albinismo ocular, ou que pode afetar a pele e cabelo, sendo nestes caos conhecido como Albinismo cutâneo. Nos casos onde existe uma falta de pigmentação em todo o corpo, este é conhecido como Albinismo oculocutâneo.

Causas do Albinismo

O albinismo é causado por uma alteração genética relacionada com a produção de Melanina no organismo. A Melanina é produzida por um aminoácido conhecido como Tirosina e o que acontece no albino é que este aminoácido se encontra inativo, havendo assim pouca ou nenhuma produção de Melanina, o pigmento responsável por dar cor a pele, pelos e olhos.
O albinismo é uma condição genética hereditária, que pode assim ser passada de pais para filhos, sendo necessário que seja herdado um gene com mutação do pai e outro da mãe para que a doença se manifeste. Porém, uma pessoa albina pode ser portador do gene do albinismo e não manifestar a doença, uma vez que esta doença apenas aparece quando este gene é herdado dos dois pais.

Diagnóstico do Albinismo

O diagnóstico do albinismo pode ser feito a partir dos sintomas observados, falta de cor na pele, olhos, pelos e cabelos, como também pode ser feito através de testes genéticos de laboratório que identificam o tipo de albinismo.

Tratamento e Cuidados para o Albinismo

Não existe cura nem tratamento para o Albinismo pois é uma doenças genética hereditária que se passa devido a uma mutação em um gene, porém existem algumas medidas e cuidados que podem melhorar sensivelmente a vida do Albino, como:

· Usar chapéus ou acessórios que protejam a cabeça dos raios solares;
· Usar roupas que protejam bem a pele como camisas de manga comprida;
· Utilizar óculos escuros, para proteger bem os olhos dos raios solares e para evitar a sensibilidade à luz;
· Passar filtro solar de FPS 30 ou mais antes de sair de casa e de se expor aos sol e aos seus raios solares.
Os bebês com este problema genético devem ser acompanhados desde o nascimento e o acompanhamento deve estender-se por toda a vida, para que o seu estado de saúde possa ser regularmente avaliado, devendo o albino ser frequentemente acompanhado por um dermatologista e por um oftalmologista.
O Albino ao apanhar sol quase não fica bronzeado, ficando apenas sujeito a possíveis queimaduras solares e por isso, sempre que possível a exposição direta ao raios solares deve ser evitada para evitar eventuais problemas como o câncer de pele.

Pais tatuam marca de nascença da filha para que ela não se sinta diferente

Pais tatuam marca de nascença da filha para que ela não se sinta diferente

Quando a pequena Honey-Rae nasceu, apresentou dificuldades para respirar e precisou ser transferida com urgência para uma unidade de tratamento intensivo.
As complicações do parto foram rapidamente resolvidas pelos médicos, mas deixaram marcas. Em toda a lateral direita do corpo da menina, do dedão às costas, há uma grande mancha vermelha cobrindo a pele. A marca de nascença não apresenta perigos de saúde, mas pode tornar a criança alvo de bullying – sejamos sinceros: crianças e adultos podem ser bastante cruéis.

Com receio disso acontecer, os ingleses Tanya e Adam Phillips, pais da menina, tomaram uma corajosa decisão: eles resolveram tatuar uma marca semelhante em suas pernas, de forma que a criança não se sentisse diferente.
“Apesar de ela ser perfeita, aos nossos olhos, eu sabia que outras pessoas iriam cruelmente apontar e olhar para ela. Durante os primeiros meses de vida, sempre que saíamos de casa, eu fazia questão que suas pernas estivessem cobertas. Eu não conseguia lidar com estranhos olhando curiosamente ou sussurrando comentários“, contou Tanya ao jornal inglês Mirror.

O casal, que já tinha vontade de fazer uma tatuagem igual, não pensou duas vezes quando os olhares e comentários aumentaram: eles iriam encarar o problema juntos. Agora, com pernas descobertas e manchas à mostra, a família está mais tranquila e pronta para garantir que a menina não se deixe abalar pela marca. “Algumas pessoas vão dizer que é estranho e vão pensar que o que fizemos é extremo, mas na nossa visão nós fizemos isso para garantir que Honey-Rae não se sinta diferente. Mamãe e papai agora têm a mesma marca permanente que ela tem“, afirmou.

9 coisas que seus pés podem estar tentando mostrar para você

9 coisas que seus pés podem estar tentando mostrar para você

Enquanto tudo parece estar indo bem, muitas vezes não prestamos muita atenção a nossos pés.

Eles passam muito tempo cobertos por meias ou sapatos, e, como diz o ditado, “o que os olhos não veem, o coração não sente”.

Mas, assim que algo não vai bem com os pés, fica impossível ignorá-los. Em alguns casos isso pode ser bom, já que sintomas de problemas de saúde mais sérios podem manifestar-se inicialmente nos membros inferiores.

Veja alguns sintomas comuns para os quais é bom ficar atento e algumas explicações possíveis do que esses sintomas podem significar para sua saúde.

Pés frios

Para muitas pessoas, “pé frio” não é uma simples figura de linguagem. Embora seja possível sentir frio nos pés sem que isso tenha alguma causa subjacente mais grave, sentir frio crônico nos dedos dos pés pode ser sinal de má circulação sanguínea. O tabagismo e condições de saúde ligadas a ele, como a DPOC, podem reduzir a capacidade de absorção de oxigênio dos pulmões, levando a níveis mais baixos de oxigênio no sangue. E a doença arterial periférica (DAP) e outras formas de doença cardíaca podem levar ao estreitamente das artérias, dificultando a circulação de sangue em todo o corpo. As extremidades, como as mãos e os pés, são especialmente sensíveis à má circulação, que pode manifestar-se com a sensação de frio. Se você notar que seus pés estão quase sempre frios ou entorpecidos, consulte seu médico para verificar se há problemas médicos subjacentes.

Coceira nos pés

Por mais que isso possa ser desagradável, a coceira nos pés não costuma ser sinal de alguma condição médica preocupante. A razão mais frequente de escamação e coceira nos pés é uma infecção fúngica, com o pé de atleta. Essas infecções são favorecidas em ambientes úmidos; geralmente começam entre os dedos do pé e ocorrem mais frequentemente em pessoas cujos pés transpiram muito por ficarem confinados em sapatos muito justos. O pé de atleta é contagioso, mas pode ser tratado facilmente com antifúngicos vendidos sem receita médica. Em alguns casos a coceira nos pés pode ser uma reação alérgica a cremes para a pele ou resultado de uma doença imune como a psoríase. Procure o médico se a coceira persistir ou se agravar com medicamentos vendidos sem receita médica.

Descoloração da pele

Uma erupção ou infecção fúngica como o pé de atleta geralmente causa escamação e vermelhão na pele, mas muitos outros problemas podem provocar descoloração dos pés. Uma desordem conhecida como fenômeno de Raynaud se caracteriza por uma sequência de mudanças de cor na pele quando reagem ao frio ou estresse. Em um episódio de Raynaud, a área afetada embranquece, à medida que as artérias se estreitam e o fluxo de sangue se reduz. A área afetada pode ficar fria ou entorpecida e, quando o fluxo de sangue diminui ainda mais, a pele pode ficar azulada. À medida que a circulação melhora novamente, a pele pode ficar avermelhada antes de finalmente voltar ao normal. O fenômeno de Raynaud acontece principalmente sem qualquer doença subjacente. Em alguns casos, contudo, pode ser um indício antecipado de um problema mais grave, como artrite reumatoide ou lupus.

Baqueteamento digital

O baqueteamento digital envolve mudanças na área em volta das unhas das mãos ou dos pés. Os sintomas comuns incluem o amolecimento do leito ungueal, acentuação da convexidade da ponta dos dedos do pé e a curvatura das unhas para formar um ângulo maior com o dedo do pé (o chamado baqueteamento). Uma maioria importante dos casos de baqueteamento vem de doenças cardíacas e pulmonares que reduzem o nível de oxigênio presente no sangue. Procure seu médico se você observar mudanças em suas unhas da mão ou do pé que pareçam um baqueteamento, pois elas podem ser sinais de problemas sérios como câncer pulmonar, doença cardíaca e doença de Crohn.

Pés inchados

A maioria das pessoas sofre de inchaço nos pés em algum momento da vida. Com frequência o edema se deve a algo simples, como passar muito tempo em pé, usar calçado muito apertado, fazer uma viagem aérea longa ou sofrer uma lesão pequena, como uma torsão do tornozelo. Mas, se o inchaço se prolonga por mais que dois ou três dias, pode ser sinal de uma condição médica mais grave. Fluidos como o sangue podem acumular-se nas pernas em consequência de doença cardíaca congestiva, doença renal ou até como efeito colateral de remédios para diabetes e hipertensão. O inchaço também pode ser fruto de inflamações resultantes de artrite reumatoide ou oesteoartrite. É importante procurar atendimento médico de emergência se o inchaço for acompanhado por sintomas como dor no peito, dificuldade de respirar ou tontura, pois podem ser indícios de um coágulo sanguíneo ou outra condição cardíaca grave.

Sensação de queimação

A sensação de queimação nos pés pode variar de leve (entorpecimento e formigamento) a grave (dor tão forte que atrapalha o sono). Algo tão simples quanto pés cansados ou uma infecção comum como o pé de atleta pode provocar sintomas de curto prazo como queimação ou formigamento. Em casos mais graves, a queimação nos pés pode ser sinal de lesões nos nervos decorrentes de diabetes ou de uma condição circulatória conhecida como doença arterial periférica (DAP). Procure o médico se a sensação de queimação se prolongar por algumas semanas, se os sintomas se intensificarem, se a dor aumentar ou você começar a perder a sensibilidade nos pés ou dedos dos pés. Enquanto isso, a sugestão da Clínica Mayo é fazer repouso com os pés elevados, para aliviar os sintomas. E banhar os pés em água fria também pode reduzir a dor e queimação.

Dor no dedão do pé

A dor generalizada nos pés é uma coisa, mas uma dor localizada às vezes aponta para um problema mais específico. Se a dor é localizada na ponta e no canto da unha, pode ser sinal de unha encravada. Uma dor repentina e forte que se repete na articulação do dedão pode ser indício de uma forma complexa de artrite conhecida como gota. Os sintomas de gota incluem dor articular intensa seguida por desconforto prolongado; frequentemente se apresentam à noite, sem qualquer indício prévio. A artrite reumatoide pode ser outra explicação, pois seus sintomas iniciais tendem a ser sentidos nas articulações dos dedos dos pés e das mãos, antes de passar para pés e mãos propriamente ditos. Se você sentir desconforto persistente ou dor localizada repentina sem explicação aparente, marque uma consulta com o médico.

Unhas do pé amareladas

Como é o caso com outras partes do corpo, a descoloração das unhas do pé pode ser sinal de que algo não vai bem. A onicomicose (infecção fúngica das unhas) muitas vezes começa como pontinho amarelo sob a ponta da unha. Infelizmente, como você talvez tenha aprendido nas aulas de biologia, os fungos se dão bem em ambientes escuros, úmidos e quentes, de modo que a parte de baixo de uma unha do pé é perfeita para eles. Se não for tratada, essa descoloração pode chegar mais fundo na unha e se alastrar para os outros dedos do pé. Tirando alguma dor leve e o prejuízo estético, as infecções fúngicas das unhas geralmente não constituem grande perigo para a saúde. Mas, se você tiver diabetes, uma infecção fúngica sem tratar pode prejudicar a circulação sanguínea em seus pés e levar a complicações mais sérias.

Unhas do pé esbranquiçadas

A descoloração branca das unhas não é necessariamente sinal de algum problema de saúde. A leuconíquia é o termo médico que descreve manchas brancas comuns que começam na base da unha e se movem à medida que a unha cresce. Contrariamente à ideia popular, essas manchas não são sinais de uma deficiência vitamínica e são vistas como inofensivas, de modo geral. Mas uma mancha branca na ponta da unha pode ser mais séria. Uma lesão pode levar parte da unha do pé a separar-se do leito ungueal, o que pode fazer a ponta da unha ficar mais branca. E algumas infecções fúngicas se manifestam inicialmente como manchas brancas na ponta da unha. Se não forem tratadas, elas podem chegar à unha inteira, provocando mais descoloração e potencialmente fazendo a unha se descolar do leito ungueal.

Originalmente publicado no site Daily RX

Como evitar que o rosto fique com a pele seca

Como evitar que o rosto fique com a pele seca

Além de hidratá-la com cremes, para evitar a pele seca também é imprescindível beber bastante água, para nutri-la de dentro para fora. Recomenda-se tomar, pelo menos, dois litros por dia.
Como evitar que o rosto fique com a pele seca:

A pele seca é um problema muito comum em qualquer fase da vida. No entanto, aparece mais frequentemente após os 40 anos e no inverno.

Se você tem esse problema, preste atenção aos seguintes conselhos:

1. Hidrate diariamente

Você pode comprar cremes de acordo com seu problema que devem ser aplicado todos os dias e, se for possível, várias vezes.
Não serve de nada colocar uma grossa camada de hidratante hoje e depois esquecer até a próxima semana. É fundamental usá-lo diariamente, pelo menos de manhã e à noite.
Para lembrar, deixe o pote na mesinha de cabeceira ou no banheiro.
Além disso, para aumentar o nível de hidratação, seria bom aplicar o creme depois de lavar o rosto ou após o banho (ou seja, quando ainda está úmida).
Não se esqueça de que, para aplicar o produto, sempre são melhores os movimentos suaves, para evitar irritações.

2. Lave com água morna

Quando voltar do trabalho ou depois de fazer exercícios, quando se levantar de manhã ou quando for dormir, você deve lavar o rosto com água morna.
Assim, os poros ficarão relaxados e a pele não se ressecará ainda mais. A água quente não faz bem, porque irrita a derme e lhe retira a hidratação.
Isso também se aplica ao banho. No caso de gostar de tomar banho quente (por exemplo, no inverno), aconselhamos que, depois, lave o rosto com água fria.

3. Esfolie suavemente

É um erro acreditar que as pessoas com pele seca não precisam de esfoliação. Essa técnica é usada para eliminar as células mortas e desobstruir os poros, portanto, é eficaz para qualquer tipo de pele.
Você deve levar em conta que muitos produtos que são vendidos livremente podem piorar seu problema.
Por isso, além de selecionar o mais apropriado, você deve passar o creme com muita delicadeza.
No final, não se esqueça de hidratar a pele.

4. Deixe secar sozinha

Quando terminar de tomar banho ou de lavar o rosto, seria melhor se você deixasse a pele secar sozinha. Se não gosta muito dessa ideia, deverá ter cuidado com a toalha que usar.
Em primeiro lugar, precisa ser de algodão ou de qualquer outro tecido suave.
Em segundo, você não deve esfregar, mas dar pequenas palmadinhas leves, no máximo durante 20 segundos.
Outra opção é usar um tecido suave e fazer um pouco de pressão.

5. Beba muita água

É muito importante hidratar a pele por dentro para oferecer-lhe não só maciez, mas também elasticidade.
Através da água podemos eliminar as toxinas que ressecam a pele e, ao mesmo tempo, ajudar no transporte de nutrientes até as células.
Se sua pele está seca demais, recomendamos consumir 2 litros de água por dia. Você pode incluir sucos de frutas naturais e chás de ervas.

6. Proteja a pele com vaselina

As pessoas que sofrem com a pele seca sabem que, durante o inverno, a situação piora devido ao aquecimento dos ambientes, ao vento, às baixas temperaturas.
Para que a umidade natural da pele se mantenha por mais tempo, você pode passar vaselina no rosto antes de sair de casa.

7. Mantenha uma dieta saudável

Assim como a água hidrata, as frutas e verduras cruas também. Além disso, oferecem muitos nutrientes e vitaminas que melhoram sua saúde em geral.
Consuma 2 pedaços de fruta e 2 porções de vegetais ao dia, sobretudo as de temporada.
Entre as melhores opções estão:
Melancia
Tomate
Maçã
Acelga

8. Lave sua pele com leite

Os cremes que compramos nas lojas têm leite em sua composição. Isso porque se trata de um agente de limpeza e hidratante natural muito eficaz.
Para aplicá-lo, primeiro, lave bem o rosto.
Em seguida, umedeça um algodão ou toalha em leite e passe sobre a pele.
Assim, você não apenas evitará a irritação e hidratará a pele, mas também diminuirá a vermelhidão e descamação.
É melhor usar leite integral, porque contém mais ácido láctico e gorduras.

9. Diminua o consumo de sal e gorduras

O fast food não só engorda e aumenta as taxas de colesterol, como também desidrata o corpo e resseca a pele.
Limite o consumo de alimentos salgados, frituras e cafeína.
Evite também beber álcool e refrigerantes em excesso.

10. Não fume

O tabaco tem vários efeitos nocivos para a saúde. Um deles se relaciona à pele.
O cigarro contém alcatrão, que obstrui os poros e resseca a pele, além de poder causar espinhas.
Por sua vez, dificulta a respiração e priva as células de oxigênio.
Como se isso não bastasse, fumar diminui as reservas de vitamina nos tecidos.

Artista produz bonecas com vitiligo para as crianças amarem suas peles

Nós estamos apaixonadas pelo trabalho da artista norte-americana Kay Black: para que as crianças se sintam felizes em suas próprias peles, ela cria bonecas de diversas etnias e tipos, como negras, morenas, loiras, com cabelos coloridos, albinas, góticas, trançadas e, a grande novidade, com vitiligo!

Ma-ra-vi-lho-sa.

Cada boneca é exclusiva. Os pedidos podem ser personalizados: o cliente pode escolher as características e, também, os figurinos. Dependendo do pedido, o valor chega até US$100 (R$320).

Winnie Harlow posa de biquíni na praia nós celebramos mais uma vez sua coragem de expor vitiligo

A modelo foi diagnosticada com a doença aos 4 anos de idade

Vitiligo

A modelo canadense Winnie Harlow, vencedora da 21ª temporada do ‘America’s Next Top Model’, mais uma vez derrubou a internet com sua espontaneidade e beleza. Portadora de vitiligo, também foi mais uma prova de sua luta contra o preconceito em relação à doença, ainda pouco conhecida pela pessoas.

Vitiligo

A musa de 23 anos posou para algumas fotos em uma praia lisboeta em Portugal e compartilhou as imagens em seu Instagram pessoal.

Em uma das fotos com a legenda “Vida abençoada”, não demorou para que os seus fãs da rede social inundassem a caixa de comentários com mensagens elogiosas.

Entre elas, muitas também exaltavam sua coragem em expor o vitiligo e combater o ‘padrão de beleza’ que impera nas passarelas.

Vitiligo

“Ela continua a mudar o mundo dos modelos. Não deixou de acreditar que poderia se tornar uma modelo com vitiligo e provou que as pessoas estavam erradas”, escreveu uma fã.

“Eu amo você, seu sorriso, sua confiança, seu corpo, seu rosto. Você é impecável”, disse outro seguidor. “Linda e única”, limitou-se a dizer mais um usuário da rede. “Você está em meu país?! Maravilhosa”, exaltou um português apaixonado.

Harlow descobriu o vitiligo aos 4 anos, quando foi diagnosticada com a doença. Hoje porta-voz que tenta diminuir o preconceito e desconhecimento em volta da condição, a modelo internacional já revelou que já fora chamada de vaca na infância por outras crianças. “Me lembro de estar sentada junto à minha janela desejando sobre as estrelas que minha condição de pele fosse embora”, comentou. Felizmente, hoje Harlow lida muito bem com o vitiligo, se importando com apenas uma coisa: ela própria. “Agora eu aprendi a escutar a mim mesma”, disse.

Sua pele avermelhada e sensível, pode apresentar sintomas de rosácea!

A rosácea é uma doença inflamatória da pele muito comum, porém pouco conhecida. Ela se apresenta como uma pele do rosto sensível, que pode ter surtos de rubor, vasinhos aparentes e algumas lesões inflamatórias que lembram a acne.

Muitas vezes começa entre as idades de 30 e 50 anos e afeta mais mulheres do que homens.

Quando os primeiros sintomas aparecem, podem ser confundidos com queimaduras solares. Conforme a doença se agrava, vermelhidão torna-se mais duradoura e óbvia.

As áreas mais acometidas são a região nasal e as bochechas e de maneira geral ocorre uma piora dos sintomas no inverno. Além de afetar a pele, pode haver vermelhidão e coceira nos olhos e também descamação nos cílios, o que caracteriza a rosácea ocular.

Nos casos mais graves os poros vão ficando dilatados, levando a um aumento do volume do nariz – é a chamada rinofima, que ocorre com mais frequência no sexo masculino.

Alguns fatores podem desencadear ou piorar as crises de rosácea, como extremos de temperatura, bebidas quentes, consumo de álcool, alimentos picantes, estresse, uso de cosméticos abrasivos ou ácidos.

O tratamento ajuda a controlar os sintomas da doença e a escolha da melhor opção depende do tipo e da gravidade das lesões.

Podem ser associados medicamentos tópicos e orais, além da Luz Intensa Pulsada que é uma excelente opção para tratar o eritema e os vasinhos da face.

Famosas como Cameron Diaz e Renée Zellweger declararam que lutam contra ela:

A pele com rosácea é sensível e precisa ser tratada com delicadeza. Consulte seu Dermatologista.

Criolipólise também pode ser usada para diminuir a papada

Criolipólise

A dermatologista Dra. Silvia Kaminsky, explica como a técnica que resfria e diminui as células de gordura localizada ajuda a melhorar o contorno facial das pessoas. Conheça essa novidade:

Os dois motivos mais comuns da papada, segundo a dermatologista Dra. Silvia Kaminsky, são: a flacidez da pele, principalmente em mulheres mais velhas, e a gordura localizada.

A criolipólise na papada é uma técnica que resfria a célula da gordura a uma temperatura de 0 º negativos, diminuindo essa gordura progressivamente ao longo de seis semanas. “É um tratamento inovador pois não é um procedimento cirúrgico”, afirma a dra Silvia, diretora médica da Skinlaser.

Esta ponteira para contorno facial, reduz média de 15 a 25% da gordura abaixo do queixo em uma única sessão (veja imagens abaixo).

É necessária uma consulta médica prévia para avaliar caso a caso pois a resposta do tratamento varia de acordo com a resposta individual de cada paciente. Na maioria dos pacientes, é necessária apenas uma sessão de cerca de 45 minutos a uma hora e meia. Os resultados são visíveis a partir de três semanas e colabora também para realçar o rosto junto com outras técnicas de tratamentos dermatológicos de harmonização facial.

Criolipólise

Criolipólise

Queda de cabelo em mulheres

Pode causar espanto, mas os dermatologistas garantem que a calvície feminina é um problema comum. O transtorno tem as causas mais diversas. Entre as mais comuns estão as mudanças hormonais, a genética e distúrbios como a anemia e o hipotireoidismo. Cerca de 30% das mulheres com 50 anos têm algum grau de calvície. É preciso ficar atento aos sinais, já que a queda de cabelo no sexo feminino costuma ser diferente da no masculino.

São raras as mulheres que ficam completamente carecas. O que acontece é um afinamento progressivo, geralmente a partir dos 30 anos.

Queda de Cabelo

As mulheres devem ficar atentas a alguns sinais especiais, já que, todo dia, as pessoas perdem cerca de 100 fios. Essa perda só preocupa se os fios começam a se acumular no ralo da pia ou do chuveiro, na escova, nas roupas ou no travesseiro. Quando todo o cabelo fica mais ralo, caem tufos ou há um afinamento onde os fios são repartidos, é hora de procurar um médico. Os tratamentos respondem melhor quando a calvície está em fase inicial e vai variar de acordo com o tipo de queda. Para um diagnóstico completo, os médicos costumam recomendar exames clínicos e laboratoriais, como o tricograma (análise dos fios). Em alguns casos, é necessário fazer a biópsia do couro cabeludo.

Um dos tipos mais comuns de queda de cabelo é o eflúvio telógeno, caracterizado pela diminuição dos fios em toda a cabeça. A queda pode ser aguda ou crônica e geralmente é causada por febres altas, dengue, anemias (causadas por menstruações intensas ou deficiências nutricionais), dietas radicais, medicamentos e no pós-parto.

Outra causa comum é a alopecia androgenética – a calvície hereditária – que chega a atingir uma em cada cinco mulheres, de acordo com a Academia Americana de Dermatologia, nos Estados Unidos. Nesses casos, os fios da linha da testa são preservados e a mulher não ganha ‘entradas’, mas o cabelo da parte de trás e no alto da cabeça vai ficando mais ralo. A predisposição genética é que vai determinar o grau de queda, mas o excesso de hormônios masculinos, muitas vezes elevados por problemas no ovário ou nas glândulas suprarrenal e hipófise, pode contribuir para o seu agravamento.

Foi o que aconteceu com a organizadora de eventos Julia Andrade, de 29 anos, que passou quase um ano lutando contra a rarefação dos fios. A culpa era da síndrome dos ovários policísticos, que causou alterações significativas em sua taxa de testosterona.

– Primeiro meus fios ficaram absurdamente oleosos e depois começaram a cair. Só que a queda foi lenta e demorei a perceber o problema. Achei que era por causa do excesso de secador, tintura e chapinha. Também fiz besteira porque passei meses tentando resolver o problema com cabeleireiros. Só quando comecei a tomar anticoncepcionais é que os fios voltaram ao normal.

– Em geral, esses procedimentos provocam a quebra do cabelo, mas quase nunca vão provocar a queda. Mas a tração continuada de alguns processos, como os alisamentos e os penteados afros, podem provocar a pedra definitiva dos fios.

Tratamento com boa taxa de sucesso

Muitos tratamentos usados para combater a calvície masculina não podem ser feitos por mulheres, já que eles agem diretamente nos hormônios. Dependendo do caso, medicamentos por via oral ou tópica que antagonizem a ação dos hormônios masculinos.

– Os resultados são variáveis. Em geral, conseguimos a diminuição, a estabilização ou mesmo a reversão parcial do processo. Na calvície, os resultados demoram no mínimo seis meses para serem observados e o tratamento é para sempre.

Além dos medicamentos combinados, nutracêuticos herbais, que também podem ter ação nos hormônios que estimulam a queda. Já mudar a dieta, se a queda não for de origem nutricional, provavelmente não vai ajudar em nada.

Fonte: O Globo

Saiba o que é mito e o que é verdade quando o assunto é psoríase

Manchas avermelhadas e descamativas que vêm e voltam podem indicar a doença. Mas cuidado: nem tudo o que encontramos na internet sobre psoríase procede. Tire suas dúvidas a respeito do que é falso e do que é real.

Psoríase

Dúvidas ainda rondam o diagnóstico e o tratamento da psoríase. Realmente, diagnosticar esta doença não é simples – isto precisa ser feito pelo dermatologista. Às vezes, as manchas aparecem e desaparecem por conta própria. É comum também que elas se manifestem de maneira diferente na pele de cada pacientes. Por isso, não é raro que pacientes visitem diversos médicos até que se confirme: é psoríase.

Sem causa conhecida, sabe-se que a doença está relacionada com uma possível disfunção no sistema imunológico que faz com que as células-T, as de defesa do organismo, ataquem as células da pele, que se multiplicam desordenadamente. Crônica, a psoríase ocorre em ciclos. Além de ser genética, e hereditária, e acredita-se que as crises sejam desencadeadas por fatores externos como frio e estresse.

– Psoríase é contagiosa? MITO
Não é contagiosa. Algumas pessoas podem apresentar propensão genética para desenvolver a doença, porém não é possível transmiti-la para outra pessoa por contato.

– Clima frio pode agravar os sintomas? VERDADE
Clima frio e seco pode ser prejudicial para a pele de qualquer pessoa. Mas para quem tem psoríase, é ainda mais importante manter a pele hidratada, prevenindo que ela venha a fica seca. EctoPURE® é um creme calmante sem corticoides, livre de parabenos e fragrâncias e que promove a regeneração e a hidratação da pele.

– Estresse pode desencadear uma crise? VERDADE
Os sintomas da doença aparecem e desaparecem, mas alguns fatores pode atuar como gatilhos. O estresse é um deles. Outros fatores que ajudam a desencadear crises são cortes, arranhões, tomar muito sol, gripes e alguns medicamentos.

– Os banhos são ruins para quem tem psoríase? MITO
Banhos não desencadeiam crises e não fazem mal ao portador, porém é preciso atenção: os banhos não devem ser muito quentes, nem durar muito tempo, já que a água quente pode ressecar a pele. Também é muito importante hidratar a pele após o banho.

Psoríase pode afetar unhas? VERDADE
Cerca de metade das pessoas com a doença percebem mudanças também nas unhas, que mudam em cor e espessura. Para proteger as unhas, vale usar luvas impermeáveis (preferencialmente sem pó ou talco) quando fizer alguma atividade com produto de limpeza, por exemplo.

Se você não apresentar a doença até os 40, então você está livre dela? MITO
A doença pode aparecer em qualquer idade. A maior parte das pessoas apresenta os sintomas entre 15 e 30 anos. E a maior incidência é em pessoas até 40 anos, mas isso não significa que a doença não possa ser desencadeada mais tarde. Há incidência de psoríase em pessoas com mais de 50 e 60 anos também.

Caso você apresente um dos sintomas acima, agende sua avaliação na SkinLaser